segunda-feira, fevereiro 08, 2010

Legal alien in New York

E eu, e alguns (as) caros (as) amigos (as), nos sentimos Aliens no planeta.



"I dont drink coffee, I take tea my dear"

(Poesia minha meio antiga)

Coração torto


O meu nome não é brasileiro
e o desespero tão profundo
sequer transparece na face

A minha raça é estrangeira
e o que me comove pode ser
mais forte do que o que me move

Eu reverencio a estranheza

2 comentários:

Tereza disse...

De outra estrangeira, ainda que nesse nosso pais (desculpa, teclado desconfigurou, to sem acento).

If everyone thought the same, nothing would ever change...

Ganhei de amiga, amicissima, nesse Natal, uma placa com isso escrito em minha homenagem!!!!!! - ela mandou fazer qua...

Os estrangeiros se reconhecem...
Se respeitam, se gostam, choram e riem juntos, e acham - definitivamente - que so a arte salva (ou conforta, vale, ainda assim)...

Divido com vc minha querida Lady Liz..., nos, Antropologas em Marte, ainda que marcianas, antropologas

Bjs

Elizabeth disse...

Como eu já te disse, graças a Deus, a todos os deuses, que existem outros (as) estrangeiros (as), e que nos reconhecemos e sabemos que não estamos sós, (porque não estaríamos, mesmo de outra forma, embora assim nos sentíssemos, mas essa é outra historia longa).
Disse Coriolano, ao dar as costas ao povo de Roma que o vaiava: "O mundo é grande".

E viver é perigoso, mas sim, a arte consola uns, salva outros,e se não existisse , aí sim, estaríamos sós e não nos reconheceríamos como espécie.
Obrigada, me faz chorar, grande beijo