quinta-feira, fevereiro 18, 2010

Amigos, anjos e a web

Do filme de Win Wenders, Asas do Desejo


Quando comecei a construir esta Babel, não imaginava como seria.
Fui ver a data do primeiro post, é de 26 de março de 2006, quase quatro anos. E só meu deu alegrias. Se o dia está difícil, se o mundo não gira bem, se a vida engana, eu me refugio na torre, com meus amigos. Os que conheço, os que não conheço, mas passam por aqui, às vezes dão alô, às vezes comentam, sempre visitam.
Música, poemas, pensamentos, notícia aqui, outra ali,descalabro lá, Babel é do mundo, pertencemos à Babel.
Silenciosa, como são todos os blogs, se não acionamos os sons.
Noite alta, às vezes -- até já escrevi um poema sobre isso -- eu sei que meus amigos estão comigo, os do mundo, os daqui. É só clicar no blog deles.
E me conforta, como há pouco. Passei no Atire do Dramaturgo, do Mario Bortolotto, que nem conheço pessoalmente. E lá está ele, se recuperando dos três tiros, estreando uma peça, postando poesia.Poesia, minha gente! Poesia! Tão necessária.
E falando em poesia, meu sempre querido e primeiro site em que entrei, Jornal de Poesia, abrigo seguro da lusofonia poética.
Meu amigo Tide Hellmeister, que disse que foi, mas volta já, também está aqui, com a bela expô Brava Gente. E o Jesus Carlos, bravo repórter fotográfico, com seu Fotografia, Cachaça e Política, entrando pelos desvãos da cidade que não saem nos jornalões.
E o Pedrão? Pedro Martinelli, companheiro da melhor redação que trabalhei, amigo de tantos anos, contando, comentando e mostrando belezas do recôndito do país, e também suas mazelas: o que fizeram da Amazônia. E as comidas, e a arte de fotografar, pé na estrada.
O Edu, no É Tudo Política, solerte repórter, que tem como lema : “Jamais faltará assunto a um repórter que se disponha a sujar os sapatos na poeira e na lama, onde muitas vezes se esconde a notícia”. E que vai ter grandes novidades em breve, parabéns Edu!
O Chiroque, lá do Peru, militante eterno da causa da educação, que conheci aqui em Sampa, quando menina. Arkan, na França, escritor e professor, amigo também de tantas estradas.
O Gregório Macedo, fino amigo do Piauí, ligado nas artes gráficas. O poeta Eric Ponty, lá de São João Del Rey, militante da métrica em tempos não tão precisos. Jô Fevereiro, mestre do traço, colega de colégio, olha só, nosso Cedom de eternas saudades. E o De cara no muro, do Alf, sempre com dicas de coisas boas. Alf, que tenta me convencer que o Mal venceu...
Ah, e o Pictura Pixel, do Claudio Versiani, grande fotógrafo do mundo, lá na adorável Barcelona?
São alguns , esses que linko aí abaixo, que visito sempre. E sem esquecer do seu Cloaca News, que atingiu hoje 1 milhão de acessos (!!!), com a importante e necessária missão de “desmascarar a máfia midiática que infesta nosso país”.

Amigos virtuais ou não, são todos velhos amigos.
Pedrão Martinelli tem uma seção no seu blog chamada “Esses anjos da guarda”, em que nos mostra rostos dos brasileiros. Acho que serve bem para o que sinto em relação ao convívio com os (as) queridos (as) amigos (as) aqui desta Babel. Amigos, o sal da Terra. E da Torre.
Sim, eu sou uma sentimental.

19 comentários:

: disse...

Diversidade, concisão e agudeza na justa medida, é isso o que ressalta no Viva Babel.
Parabéns, guerreira!
Beijos.

Gregório Macedo.

Tania Mendes disse...

Seu blog é um oásis, eu já disse e repito. Tudo do melhor e do mais justo. Música, fotos, textos irretocáveis. Sim, continue sentimental, é o que vale. O resto é GIANT.

Elizabeth disse...

Beijo, Greg.
E Mariatania, o sentimento é tudo, disse Goethe, olha só, coisa simplinha e tão verdadeira.Beijo

Caseiro disse...

Salve, Companheira!
O mal venceu - hoje tive outra prova -, mas a luta continua.
Tão longe, tão perto. Apesar de estarmos fisicamente tão próximos, Babel tem sido a nossa ponte. Que bom. Beijão!

Elizabeth disse...

Pára com isso Alf, pára com isso, conhece o uroborus? Aquele que nunca tem inicio nem fim?

Me conte después lo que se passo.

Elizabeth disse...

alias, Tão Longe tão perto é aquele super filme passado no Japão, né? Com a Scarlett Johanson e aquele ator marvilhoso que, claro, esqueci o nome

Anônimo disse...

Alteza
Seu blog é um retrato perfeito seu. Culturalmente amplo e profundo. Belissimo. Sensual
E o retrato de seus pés foi uma escolha perfeita. Sob eles ficam esmagadas as convençoes futeis, os interesses mesquinhos
Um blog desses só poderia ser criado por uma mulher, o mais esplendido dos seres da natureza
cap Pepe

Elizabeth disse...

Sem palavras, my Captain.

Cloaca News disse...

Desse jeito eu choro,Elizabeth.

Elizabeth disse...

é que o sr. é, como eu, muito sentimental

Anônimo disse...

Cap Pepe disse tudo de quem a conhece. Sensível, terna, alegre, pra cima diante das adversidades y muy amiga aunque pese da distancia física. Força, Beth; e constinue a nos abastecer com sua inteligência e sensibilidade.
Um beijo grande da amiga de sempre.
Luzia

Elizabeth disse...

Luluza, mas será que vamos nos falar só aqui na Babel???
No lo creo.
Quem acaba de me mandar emaio é o camarada, que estava desconectado há tempo. Saudades de vocês!

Caseiro disse...

Não, Companheira. Tão longe, tão perto é do Win Wenders. A que se passa no Japão chama-se Encontros e desencontros e é da Sofia Coppola.
Recomendo O segredo do olhar, um argentino estrelado pelo Ricardo Darin e do mesmo diretor de O filho da noiva. É maravilhoso.
Bj!

Elizabeth disse...

é isso Alf, eu assisti os dois
k k k k k
só fiz uma ligeira confusão
beijo

Jesus Carlos disse...

Gracias Beth e sem comentarios. Saludos indígena e beijos, Jesaus.

Liu Sai Yam disse...

Babélicos ruídos e multilinguagem sem fricotes. De Borges a Beatles, de Antonio Candido a Antonio Gaudí, essa nossa Babel (já é nossa, viu?) vai subindo pra cumprir seu destino de desunir onde há frentes unidas e desentender onde há entendimentos cristalizados. Mexe, remexe (remixa) e instiga.

Uma lembrança de Georges Arnaud, que depois virou filme:
"No berço é que o destino toma conta dos homens".

Longa vida a Babel!

Elizabeth disse...

Beijo Liu

claudio versiani disse...

Amiga,
eu tenho um carinho especial por essa sua Babel. Mesmo porque nos encontramos na rede via o Mestre Antônio Cãndido.
Bjo e muito obrigado pelo enlace.

Elizabeth disse...

É mesmo Claudio, foi o grande Mestre que nos aproximou. Beijo