sábado, novembro 07, 2009

Aluna da Uniban é expulsa: outro tijolo no muro

estadao.com.br

SÃO PAULO - A Universidade Bandeirante informou em anúncio publicado em jornais paulistas neste domingo, 8, que decidiu expulsar a aluna Geisy Arruda de seu quadro discente. A estudante do curso de Turismo sofreu assédio coletivo no último dia 22 de outubro por ir ao campus de São Bernardo do Campo da faculdade com um vestido curto. O episódio ganhou repercussão na internet após vídeos do tumulto serem postados no 'You Tube'.

No anúncio publicitário, intitulado ' A educação se faz com atitude e não com complacência' a universidade diz que tomou a decisão após uma sindicância interna constatar que a aluna teve uma postura incompatível com o ambiente da universidade, frequentando as dependências da unidade em trajes inadequados. Para a Uniban, Geisy provocou os colegas ao fazer um percurso maior que o habitual, desrespeitando princípios éticos, a dignidade acadêmica e a moralidade.A universidade afirma ainda que foi constatado que "a atitude provocativa da aluna resultou numa reação coletiva de defesa do ambiente escolar". Ainda assim, o conselho superior declarou na nota que suspendeu temporariamente os alunos envolvidos e identificados no incidente. A Uniban também criticou o comportamento da imprensa na cobertura do caso. Segundo a universidade, a mídia perdeu a oportunidade de contribuir para um debate 'sério e equilibrado' sobra ética, juventude e universidade.





Heitor Pinto é o magnifico reitor, que começou com um cursinho nos anos 70 na zona norte, comprou colégio, fundou faculdade e virou universidade. A trajetória do crescimento do ensino privado, que veio a dar nisso que vemos hoje.

Na avenida Braz Leme, a Uniban funciona no mesmo prédio de uma revendedora de carros.

Em São Bernardo, no ex- centro de pesquisas da Ford.

O homem gosta de carro e acha que é a mesma coisa que gente.

Com disse o amigo

Henrique Marques Porto

"As inscrições para o vestibular da Uniban estão abertas.Meninas e meninos! Não se inscrevam!Quase ia escrevendo “unibando” pensando no reitor e em quem mais decidiu pela expulsão da moça. Inacreditável que isso ocorra em nossos dias.A propósito, o reitor da Uniban é o Prof. Dr. Heitor Pinto Filho. Mensagens à magnífica criatura podem ser enviadas para o e-mail reitoria@uniban.br

Como disse o Zé Eduardo:

"Para mim o que está em jogo nesse caso não tem nada a ver com o comprimento do vestido. É, de novo, a liberdade da mulher. Até agora por um bando de arruaceiros de opção sexual duvidosa. Mas agora é muito mais grave. Por uma instituição que se diz dedicada a formar jovens. Ela os forma ou elas os castra?"

Ele também acha que as mulheres deveriam se recusar a entrar na Uniban, e perguntou se nenhum movimento feminista encabeçaria?

Não sei se existe organização para isso, como nos anos 70, em plena ditadura, e quando não se tentava estuprar alunas de minissaia.

Não sei.

2 comentários:

jo fevereiro disse...

É, Beth... já manisfestei em outro lugar a lembrança que esse fato me trouxe dos anos sessenta, quase metade do século passado, quando as meninas usavam saias bem menores que a da moça em questão. O máximo que acontecia, além de alguns assobios e gracejos, era ver os mais afoitos correrem saudavelmente para o banheiro.

Anônimo disse...

"Saudavelmente?" Destrói o caráter, aniquila a pureza, e ainda faz nascer pelos na palma da mão!